quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Um pouco de emoção - Inocência Perdida.


Mais uma prévia de meu livro Inocência Perdida

Inocência Perdida é um livro que toca na alma do leitor, que faz suas emoções transbordarem e compreender, de fato, que o abuso de um menor é um delito muito grave e que deve estar acima das convenções sociais e familiares. Deve ser delatada e o culpado(a) ter seu castigo bem colocado, pois é um crime dos mais graves... Pelo menos deveria ser.

Aqui coloco mais um trecho do livro para degustação.
Os links para a compra são:
Drago Editorial: http://www.livrariadragoeditorial.com/…/a-saga-de-um-pinto…/
Amazon Prime: https://www.amazon.com/Saga-Pintor-Inocencia-Perdida-Por…/…/
Assim como aviso que estou com alguns exemplares para a venda... quem se interessar, falar comigo por e-mail (pm.priscilamarcia@gmail.com)
Divirtam-se!
Prévia:
“Tobias ainda olhava ao irmão com espanto. Desde que haviam saído do apartamento, Felipe descrevia a relação deles com Carlos como a das melhores. Dissera mesmo que os havia chamado para demonstrar o quanto Carlos e Marcele se tornaram realmente bons pais. E como a falta de Natanael os deixava triste, principalmente, referindo-se ao pai.
Apesar de espantado, Fabio ouviu as palavras do neto com atenção. Não lhe pareciam forçadas. Ele mesmo vira o tratamento amigo com que os dois meninos haviam tratado Marcele e seu filho. Será que havia entendido mal as palavras do neto pelo telefone? Ou será que Felipe escondia algo? Estaria com medo de Carlos Fabio? O que realmente estava acontecendo entre aquelas paredes? Ficara o dia todo com os meninos e não vira nada de errado.
— Vamos partir apenas amanhã. — falara aos dois antes de entrar no prédio. — Se precisarem de nós, é só ligar, ouviram meninos?
Felipe saiu do veículo com pressa.
— Não vamos precisar vovô. — Olhou Tobias. — Não é verdade, mano?
Tobias confirmou com a cabeça, se bem que seus pensamentos eram outros.
Fabio Orlando de Albuquerque ainda ficou olhando aos netos entrarem pela portaria do prédio e então virou seus olhos à esposa, estava desconfiado.
— Podíamos dar uma passada no apartamento de Thomas.
Ana o olhou, admirada com sua resolução.
— Vou avisá-lo de que vamos para lá... Agora.
Ela nada disse. Sabia que o marido quando cismava com algo, ia até o fundo da coisa”.